Mangalarga

O cavalo Mangalarga originou-se a partir de animais introduzidos no Brasil pelos colonizadores portugueses. O principal tronco formador da raça deriva do cruzamento de cavalos Alter  vindos com a Família Real Portuguesa. 
 
Selecionado desde o início de sua formação como animal de serviço em fazendas e de esporte (na época, caçada de veados) o Mangalarga, que apresenta andamentos marchados, característico da raça, constitui-se numa excelente ferramenta de auxílio aos trabalhos dentro da pecuária de corte, atividade que vem acompanhando nos seus deslocamentos através do Brasil.
 
Atualmente a seleção da raça mangalarga proporciona diversos usos. Além do trabalho em fazendas de gado ela proporciona cavalgadas com participação de toda família, enduros entre amigos, enfim usos para cavaleiros não especializados mas que gostam de cavalgar, apreciam o cavalo ou que precisam dele para seu serviço, e por serem de andamentos cômodo são bastante procurados para essas atividades.
 

Crioulos

O Crioulo é conhecido como o "Cavalo das Américas". Dentre as raças ibéricas que evoluíram, a do Crioulo foi a que manteve, de forma mais fiel, até os nossos dias, as características fortes de suas origens andaluzas.
 
Nenhum outro cavalo obteve participação tão integrada ao homem no Brasil quanto o Crioulo nas fronteiras e pradarias do Sul do país.
 
 

 Os difíceis dias de batalhas se foram, mas a dura lida nos campos continua a ser  árdua para homens e cavalos.
 
Vivendo do que encontrar nos pastos, enfrentando frio e vento sem esmorecer, o Crioulo trabalha de sol a sol contribuindo para a economia rural deste nosso país.